Isto é o que Leandro Karnal espera que você faça se for demitido

Isto é o que Leandro Karnal espera que você faça se for demitido

Perder o emprego é um baque e tanto. Em entrevista exclusiva, professor explica como transformar a experiência do fracasso em sabedoria

Publicado por Exame

São Paulo — Nada de “pensar positivo” ou acreditar que o sucesso depende apenas de você. No dia em que a vida trouxer notícias ruins, como a de uma demissão, Leandro Karnal espera que você abandone todas as respostas prontas.

Em entrevista por telefone a EXAME.com, o historiador e professor da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) diz que o discurso típico da autoajuda se apoia em premissas pouco realistas, e ignora que o êxito e o fracasso não dependem exclusivamente do indivíduo.

Por outro lado, reconhecer o peso inegável das circunstâncias — como a crise econômica que assola o país e deve produzir quase 14 milhões de desempregados até 2018 — não significa que você não tenha nenhuma responsabilidade por um eventual desligamento.

Para Karnal, o profissional dispensado não deve se sentir um “perdedor”, até porque se colocar nessa posição só funciona como pretexto para se acomodar.

A saída mais interessante é aproveitar o lado útil do fracasso: a oportunidade de refletir sobre as suas fraquezas, aceitar o lado trágico da vida e construir uma nova atitude. “A felicidade engorda, enquanto a tristeza faz você se movimentar”, resume o professor.

Confira a seguir os principais trechos da conversa:

EXAME.com – Até que ponto o fracasso é culpa do indivíduo?

Leandro Karnal – Hoje existe um discurso dominante de que 100% do que acontece nas nossas vidas depende das nossas escolhas. Isso nasce de um certo pensamento liberal do início do século XIX, que tem uma dose de perversidade. É como se todo mundo que está mal tivesse optado por estar mal, e que todos podem estar bem — basta querer.

É o que embasa a ideia de que a pobreza é responsabilidade completa da pessoa, assim como a riqueza. Grande parte da autoajuda que percorre as palestras brasileiras diz: “Se você acreditar que é um vencedor, certamente vai vencer”. É uma crença excessiva na liberdade do indivíduo.

Teorias de diversas naturezas, da religião à psicanálise, contrariam essa tese. Não somos tão racionais, nossas escolhas não nascem de uma liberdade total e o acidente tem um papel muito maior do que imaginamos. Isso inclui até teorias de esquerda, como as de Thomas Piketty, que fala sobre a exclusão produzida de forma inevitável pelo nosso sistema.

Ao desenvolver a teoria psicanalítica, Sigmund Freud mostrou que as nossas ações são fruto de uma coleção de traumas e experiências infantis, e que certos graus de neurose e patologia existem em todos nós, até naqueles que não estão em casas psiquiátricas. Desde que Freud determinou isso, sabemos que há dificuldades estruturais com essa liberdade.

EXAME.com – O que se pode concluir, então?

Leandro Karnal – Tenho usado em minhas palestras duas noções desenvolvidas por Nicolau Maquiavel: a “virtù”, total de habilidades e competências que nascem comigo e que posso desenvolver, e a “fortuna”, que significa o acaso, a sorte, o azar, o inesperado.

Ninguém é tão divino (só “virtù”) e nem tão objeto inanimado e suscetível às circunstâncias (pura “fortuna”). No gráfico imaginário formado pelas retas “virtù” e “fortuna”, somos um traço tenso e curvo. Faz muita diferença a escolha do indivíduo. Mas nem sempre esse indivíduo lida com uma lógica absoluta, ele faz sua escolha dentro do possível.

EXAME.com – Diante de uma demissão, muitas pessoas se sentem “um lixo”, porque acham que tudo depende da tal “virtù”. Outras culpam a crise e negam qualquer responsabilidade pelo que aconteceu, como se tudo fosse resultado da “fortuna”…

Leandro Karnal – Sim. Acontece que, se você se sente um “lixo”, talvez você esteja certo. Mas a pergunta que realmente importa é: qual é a etapa seguinte? O que você vai fazer para mudar? É paralisante se sentir um “lixo” porque no fundo isso é um recurso psíquico para não agir. É uma forma de defesa, de preguiça, como se você dissesse: “Não dá, eu sou um fracassado mesmo, não preciso fazer mais nada”. Não há alegria maior do que entender que eu nunca mais vou emagrecer. Perdi o limite, engordei muito e agora não tenho como retroceder, então agora estou alegre. O fracasso é uma zona de conforto.

Outra forma de paralisia é atribuir tudo a forças exteriores. “Eu sou bom, mas sou perseguido”. “Sou competente, mas este país não presta”. Quando eu atribuo a responsabilidade de tudo a terceiros — destino, signo, Deus, governo — eu passo a viver também numa zona de conforto. Você diz, na prática, que não é gestor da sua vida.

Gosto de dizer que você é sócio majoritário do projeto da sua biografia. Ser sócio majoritário não significa poder controlar tudo, funcionários, fornecedores, clientes. Mas a responsabilidade é muito maior do que creem os deterministas.

EXAME.com – De que forma o autoconhecimento pode ajudar uma pessoa que está vivendo uma fase ruim na carreira?  

Leandro Karnal – Se você olha para si mesmo com muita honestidade, se encara o retrato terrível da Medusa, que é o seu lado difícil, você tem a primeira chance de encará-lo e superá-lo. É preciso se observar sem máscaras, ou com menos máscaras.

É o que diz a máxima “Conhece a ti mesmo”, que funda a filosofia de Sócrates. Quando você não se conhece, acaba sendo controlado por partes de si, sua dor, seus traumas. É preciso investigar a si mesmo para perceber que você também é preguiça, você também é raiva. Se você sabe disso, fica mais fácil aceitar e diminuir o efeito dessas fraquezas.

Se eu descobrir, por exemplo, que a irritação com o meu chefe reproduz uma relação com a autoridade paterna mal resolvida, posso perceber que, na hora em que o meu chefe é chato, quem deve reagir é o funcionário Leandro, e não a criança Leandro.

Por outro lado, conhecer a si mesmo também é conhecer o que há de bom em mim mesmo, e também aquilo que me traz bem-estar. É muito comum ver pessoas que dizem que a carreira é tudo para elas, mas sofrem de úlcera e gastrite no domingo à noite. Elas não se conhecem, não sabem o que realmente querem.

A autoajuda falha porque pressupõe um modelo que não existe. Há pessoas que adoram atividades repetitivas. Outras são pouco ambiciosas e só são felizes se puderem ficar em patamares fixos. Há indivíduos viciados em desafios. Eu preciso saber do meu perfil. Não posso contrariar permanentemente a minha natureza.

EXAME.com – O fracasso pode criar um ciclo vicioso: a melancolia gera mais problemas e os problemas geram mais melancolia. Como escapar desse mecanismo?

Leandro Karnal – Em primeiro lugar, é preciso aceitar que há uma parte da vida que necessariamente dá errado. A morte chegará. As pessoas que eu amo podem desaparecer. Posso perder o emprego. Posso ser uma pessoa ruim. A existência tem sempre uma dimensão trágica. Tristeza não é um problema, não é algo excepcional.

Note que estou falando de tristeza, não de depressão. Depressão é uma doença grave, que requer acompanhamento profissional e tratamento. Já a tristeza é uma ferramenta de aprendizado. Se eu não quero sair da tristeza, é porque ela me dá um conforto. Talvez o meu medo de enfrentar um novo mercado de trabalho seja tão grande que eu vou me refugiar na melancolia. “Não dá, não tem jeito, é assim mesmo”. Porque o medo é maior.

Acontece que os países, as empresas e as pessoas se reorganizam na crise — para o bem ou para o mal. É a partir de uma crise nacional profunda que emerge a figura de um Winston Churchill. É também numa crise nacional profunda que emerge um Adolf Hitler. A crise é um grande momento, pode gerar muitas transformações e aprendizados.

O problema é que a “geração Facebook” acha que a vida só é plena se você pode publicar fotos felizes. Na verdade, a felicidade engorda. A tristeza faz você se movimentar.

EXAME.com – A morte do sociólogo Zygmunt Bauman no início do ano reacendeu o debate sobre a deterioração das relações humanas na era da internet. Redes sociais como o Facebook geram uma falsa ideia sobre o sucesso alheio?

Leandro Karnal – Toda tecnologia é neutra. Um martelo pode fixar um prego para pendurar um quadro, mas também pode assassinar uma pessoa. A rede também é neutra, tudo depende do que fazemos com ela.

Vivemos na sociedade do espetáculo, em que toda a atenção é voltada para imagem. O que precisamos entender é que tudo aquilo que se publica no Facebook é de autoria de um roteirista. É alguém construindo uma imagem. Se eu acredito naquilo, o problema não é a internet, mas a minha dor e o meu vazio. A rede alimenta um problema antigo, que é enxergar no outro o fracasso dos meus próprios projetos.

EXAME.com – A inveja pode ensinar alguma coisa?

Leandro Karnal –  O sucesso alheio me incomoda porque não estou olhando para mim mesmo, meu foco está nos demais. A palavra “inveja” é formada por “in” e “vedere”, que significam “não ver” em latim. Quando não me vejo, não enxergo o meu próprio desempenho, olho excessivamente para o outro.

A psicanálise diz que, se você sentiu dor pela felicidade do outro, isso é uma pista maravilhosa, porque revela algo sobre você e sobre o que você quer. Refletir sobre a própria inveja ajuda a reconhecer os seus desejos, entender os seus fracassos, olhar de novo para si mesmo.

Publicado por Rita de Cássia / Taged as carreira

61

61

comentários

    jun 01
    2018

    Eilene Politano

    Spot on with this write-up, I actually suppose this website wants rather more consideration. I’ll most likely be once more to read much more, thanks for that info and also visit our site for zero liquid discharge

    ufocd.org

    Responder
    jun 25
    2018

    Michaelmum

    Is there a defence that some videos that I sire downloaded will depict with the blind locked while others intention not? I fool a YouTube Red commitment and can mostly hearken to videos I have downloaded on my phone with the silver screen locked to keep on battery. Anyway, I keep noticed that there are firm videos that I take downloaded that cours bitcoins will stop playing as shortly as I pursue the screen. On top of that, the video wish last out in times past to the start as if I hadn’t been watching it at all. Some other communication that may be important to this problem is that the videos in theme come from the done the deity as others that do arouse as intended. Multiple channels do the uniform thing. I had started to contemplate that unarguable channels were not allowed to handiwork this technique, but at the moment that I am having the unchanged problems with channels I skilled in manoeuvre and persist in to achievement,

    Responder
    jun 25
    2018

    Robertapoff

    There was a out-and-out of 8 companies represented in today’s forum powwow, each targeting a unusual model of customer online Le cours du bitcoin. While the aim audience for these websites and to be sure their products may be unusual, the challenges with social media are plumb much the same.

    Responder
    jun 25
    2018

    SammySot

    HI everyone, this is Beau here. We did not envisage on announcing this so near the start, but unfortunately having a regional forum on our webpage has opened us up to regular spamming during the recent few days and week. Without a fulltime line-up of moderators we were ethical impotent to stopping-place the bull-whip of spamming and we would more snip it in the bud now. All forums remain yield to scan, but comprise been closed to any late-model posts. Disastrous evenly get to deleting all the spam posts beyond the coming week.

    Our rationale recompense pathetic to Reddit is we get a deliberation built forum where a interest of the quel est le cours du bitcoin Cryptocurrency community already resides, in reckoning to a slew of anti-spamming tools and features. There is lawful so innumerable benefits to it, that had I be struck by known in the foremost mortify then I would have qualified started the forum there.

    Responder
    jun 26
    2018

    Thomasfet

    For years,cours bitcoin the investment banking sector has prided itself on the idea that it is exceedingly meritocratic. Those who master-work unsentimental take the place of, and those who don’t shoot chucked unlit fast if they don’t produce the grade. New fact-finding, in any event, has shown that the industry is dominated by people civilized at furtively schools and Ivy League/Oxbridge universities, as well as those from upper midway assort backgrounds.

    Responder
    jun 26
    2018

    CharlesCob

    ost Contemporary altoghter in the present circumstances!!!

    It is on the computer cours bitcoin cours du bitcoin euros but will not divulge!

    So liking procure to reinstall again! But appears I commitment not be talented to take plugins at all. Everytime I check out it crashes! I acquire never had these problems with earlier versions and useing XP. I take gush two weeks frustrating to get this to stand for well and I take attempt deadlines in a week.

    Responder
    jun 26
    2018

    RonaldToows

    After some justification on my position perheenkaupunki.fi the active search doestout savoir sur le cours bitcoin not work automatically as it should with SearchWP. Maybe it is because I am using FacetWP. Do you accept any sentiment how to decide this and enable the plugin. Nothing shows up.

    Responder
    jun 26
    2018

    CliffBlize

    In defiance of his instruction and avidity, Sherman isn’t interested in giving investment advice: Crypto: le cours du bitcoin “Who knows,” he says, “You announce up, you catch gargantuan things roughly some, you hear terrible things around others, they vacillate cranny of the day. It is such an unpredictable market.”

    Responder
    jun 26
    2018

    Michaelmum

    Is there a defence that some videos that I sire downloaded when one pleases depict with the telly locked while others intention not? I prepare a YouTube Red subscription and can usually hearken to videos I contain downloaded on my phone with the screen locked to guard on battery. However, I have noticed that there are sure videos that I obtain downloaded that cours bitcoins commitment stop playing as soon as I lock the screen. On crown of that, the video intent last out forsake to the beginning as if I hadn’t been watching it at all. Some other information that may be formidable to this subject is that the videos in theme fly to pieces from the for all that the deity as others that do come up with as intended. Multiple channels do the same thing. I had started to characterize as that unspecified channels were not allowed to operate this avenue, but at the moment that I am having the nonetheless problems with channels I skilled in incorporate and at to commission,

    Responder
    jun 26
    2018

    Robertapoff

    There was a comprehensive of 8 companies represented in today’s forum examination, each targeting a divers type of customer online Le cours du bitcoin. While the butt audience on the side of these websites and all joking aside their products may be personal, the challenges with societal media are plumb much the same.

    Responder

Deixe um comentário